Artigo

Descubra quais são as principais metodologias de Gestão Ágil de Projetos e como mudar da gestão tradicional

O tempo em que vivemos é marcado pelo dinamismo e pelas mudanças constantes, em que a todo momento novas tecnologias e novos modos de se gerenciar surgem. Esse cenário de mudanças exige uma grande capacidade de adaptação e de “corridas de 100 metros” ao invés de maratonas. Para conseguir dar conta dessa realidade, surgiu a gestão ágil de projetos. Ficou curioso? Continue lendo este artigo para saber como esse modo de se gerenciar projetos tem mudado o cenário organizacional das empresas. Ah, e de quebra você entenderá melhor a analogia do parágrafo anterior.

Confira os tópicos:

. O que é gestão ágil de projetos;

. Características da gestão ágil de projetos;

. Diferenças entre gestão ágil e o gerenciamento tradicional de projetos;

. Principais metodologias da gestão ágil.  

O que é gestão ágil de projetos?  

Gestão ágil de projetos é a aplicação de práticas ágeis ao gerenciamento de projetos.

Ou seja, em vez de pensar no projeto apenas como um todo, ele é dividido em pequenas partes que vão sendo feitas em prazos mais curtos. Tendo como base o Manifesto Ágil, a gestão ágil se diferencia da gestão tradicional por ser focada mais no comprometimento de todos os integrantes da equipe e menos nos processos, estimulando a participação e o engajamento do grupo. Outro ponto de destaque é a participação constante do cliente, garantindo assim que o projeto está de acordo com os requisitos do cliente.

Segue o Manifesto Ágil publicado em 2001:

Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazê-lo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:

. Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas

. Software em funcionamento mais que documentação abrangente

. Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

. Responder a mudanças mais que seguir um plano

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.

Características da gestão ágil de projetos  

Como você pode perceber, nesse modelo de gestão de projetos, algumas características se destacam, como o dinamismo e a participação ativa de toda a equipe. Além disso, existem algumas outras características que afetam a forma como essa gestão é feita.

Por exemplo, é possível priorizar alguns aspectos do produto antes de outros. Imagine que o produto seja um carro. Enquanto o motor é uma prioridade máxima, a pintura não é. Então, em um modelo de gestão ágil, entrega-se primeiro o carro com o motor e os componentes necessários para que seja testado e verificado se atende aos requisitos do cliente.

Baseado nessa forma de pensar que surge o conceito de MVP (mínimo produto viável – do inglês minimum valuable product), em que um produto é elaborado de forma que seja suficiente para coletar feedback do cliente sem os custos do produto finalizado e correndo o risco de ter que refazer alguma coisa.

Assim, uma característica muito importante dos métodos ágeis é realizar várias entregas, e assim coletar dados e continuar melhorando até chegar no produto final.

Diferenças em relação ao gerenciamento tradicional de projetos

Para os métodos tradicionais de projetos, é usado o guia PMBOK (Project Management Book of Knowledge) como padrão e referência mundial no assunto. Esse guia de boas práticas estipula áreas de gerenciamento, que regulam todo o projeto, desde o escopo até as partes interessadas.

Ou seja, ele define todo o ciclo de vida de um projeto, e embora esteja preocupado com as mudanças, não consegue lidar com elas com a mesma eficiência que as metodologias ágeis. Isso acontece porque o gerenciamento tradicional se comporta de forma linear, com uma estrutura bem definida.

Já com a metodologia ágil, a forma como se estrutura o projeto é mais flexível, permitindo que mudanças externas, como sugestões do cliente, sejam incorporadas. É preciso lembrar que muitas vezes o cliente não sabe exatamente o que quer quando o projeto se inicia, por isso essa capacidade de adaptação é muito boa.

No que diz respeito a esse relacionamento com o cliente, essa é uma das desvantagens do modelo tradicional, pois nele o gerente de projetos tem contato com o cliente de uma forma bem limitada e esporádica.

Então, qual a melhor metodologia? Depende do projeto. Por exemplo, no projeto de construção de um edifício, o método tradicional é mais adequado, por se tratar de algo sem mudanças consideráveis.

Já para o desenvolvimento de softwares, o método ágil se comporta melhor, pois permite acompanhar diversas versões do programa, adaptando-as de acordo com o feedback do usuário.

Atualmente, é comum ver os dois sendo usados de forma conjunta, o que permite usufruir da organização proposta pelo PMBOK e pelo dinamismo dos métodos de gestão ágeis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *