Artigo

App que permite sacar salário quando quiser atende centenas de empresas

Publicado em

Para a startup de recursos humanos Xerpa, há um mercado de 24 milhões de brasileiros dependentes do cheque especial a ser desbravado — e o caminho não passa por mais uma fintech. Com centenas de empresas como clientes, a Xerpa permite que funcionários saquem a qualquer hora os salários referentes aos dias que já trabalharam.

O Xerpay foi criado no início do ano e é a principal aposta da startup e dos seus novos investidores. Neste mês, a Xerpa obteve um aporte de 16 milhões de reaisfeito pelos fundos QED Investors, KaszeK Ventures e Redpoint e.ventures. O novo investimento servirá para melhorar a tecnologia da plataforma, incluindo a antecipação de pagamentos.

Levar os recursos humanos ao presente

Operando desde 2016, a Xerpa foi criado pelos empreendedores Nicholas Reise e Paulo Ahagon. Americano, Reise chegou ao Brasil há onze anos para trabalhar em bancos de investimento e se tornou o primeiro funcionário no país do fundo de investimentos em startups Redpoint e.ventures.

“Queria montar algum negócio e pensei no que estava atrapalhando o crescimento das empresas. Vi uma oportunidade em armazenar dados de recursos humanos na nuvem”, afirma Reise. Seu mercado eram os 40 milhões de trabalhadores nas empresas com mais 50 funcionários, que precisam investir na organização de admissão, folha de pagamentos, benefícios e desligamentos.

A Xerpa, criada em 2016, conecta todos esses procedimentos e os leva aos celulares dos funcionários, com integração aos sistemas de recursos humanos já existentes nas empresas. Um processo de admissão costuma levar “vários dias” e, com a solução da startup, esse prazo se reduz a “horas”. A Xerpa possui dezenas de milhares de funcionários em sua base.

Telas do aplicativo da Xerpa (Xerpa/Divulgação)

Como monetização, o negócio cobra uma assinatura das companhias com base no número de funcionários. A taxa vai de centenas a dezenas de milhares de reais por mês. A Xerpa atende centenas de empresas, como a rede de fast food Giraffas e as startups Cabify, Dr. Consulta, GuiaBolso, Gympass e Nubank.

Segundo o estudo Liga Insights HR Techs, o Brasil possui 122 startups que atuam na área de recursos humanos — de avaliação de performance até de recrutamento de temporários e freelancers.

Globalmente, algumas startups que atuam no mercado de tecnologia para recursos humanos são as americanas Gusto (que recebeu 316 milhões de dólares em investimento) e Namely (217,8 milhões de dólares) e a britânica Wagestream (4,5 milhões de libras). A Wagestream foi uma inspiração de Reise para a aposta da Xerpa para este ano — os serviços financeiros.

Apostas e expansão

No começo de 2019, a Xerpa criou o Xerpay, um serviço de antecipação de salário. “Fomos criados para conectar os recursos humanos aos funcionários, mas sabíamos que isso criaria uma plataforma para trazer outras soluções, como serviços financeiros”, afirma Reise.

O Xerpay está disponível em um aplicativo aos funcionários das empresas que optarem pelo benefício. O funcionário pode receber a parcela de salário referente aos dias do mês que ele já trabalhou. O dinheiro cai em uma hora em sua conta.

Para a empresa contratante do Xerpay, o processo de pagamentos não muda: ela continua depositando os salários integralmente nos dias determinados. A Xerpa assume o capital de giro para a antecipação de salário e desconta o valor da conta corrente do funcionário no dia de recebimento original.

Há uma taxa cobrada do funcionário pela antecipação, com valor ainda sendo definida pela Xerpa. “Mas não queremos que seja uma taxa mais cara do que um café. Nosso objetivo é ser uma alternativa mais justa em relação às taxas cobradas pelo cheque especial”, afirma Reise. Em abril deste ano, o cheque especial chegou a cobrar 16,24% de juros.

O serviço está disponível hoje para 50 mil funcionários das centenas de empresas atendidas pela Xerpa. A nova injeção de capital recebida pela Xerpa deverá ajudar a aumentar o número de usuários do Xerpay. O aporte será usado para melhorar a coleta de dados, as integrações com parceiros e os produtos da Xerpa. A startup possui 60 funcionários e pretende chegar a 100 nos próximos 12 meses.

 

Equipe da Xerpa (Xerpa/Divulgação)

Antes do aporte de 16 milhões de reais, a Xerpa já havia obtido 5,7 milhões de reais em investimentos anteriores, feitos por fundos como o próprio Redpoint e.ventures. Outro fundo que investiu desde o começo na startup foi o KaszeK Ventures, um dos líderes da rodada de captação deste mês e que já investiu em outras startups de benefícios corporativos, como Cuidas, GOIntegro e Gympass.

“Encontramos empreendedor incríveis e, ao mesmo tempo, funcionários de recursos humanos focados em processos burocráticos no lugar de melhorar a vida de seus colegas de trabalho. Adoramos a tese original, de ser a plataforma de tecnologia para o RH”, afirma Nico Berman, sócio do fundo de investimentos. “O Xerpay é especialmente importante no Brasil pela nossas taxas de juros e por ser algo que a empresa não conseguiria administrar sozinha.”

 

*Fonte: EXAME

Artigo

Os 5 erros mais comuns em apresentações corporativas

Publicado em

Laís Vargas é cofundadora da empresa de apresentações, o MINIMIZA | Apresentações Sem Firulas. Trabalhou quase 10 anos em áreas de Marketing & Vendas, incluindo em multinacionais como Colgate-Palmolive e L’Oréal.

Na maioria dos casos os profissionais se sentem presos ao template-padrão da empresa em que trabalham. Muitas das vezes nem é o seu chefe o problema, mas sim a área de comunicação & branding que te obriga a usar o mesmo slide toda vez que precisa abrir o PowerPoint.

Mas ao invés de reclamar, Laís Vargas virou o jogo e mudou o cenário.

Enquanto seus colegas ficavam enfurecidos com essas limitações, ela começou a estudar, fazer cursos e entender que conseguia driblar o padrão sem quebrar “as regras do jogo”. Até começar a se destacar…

Seus chefes pediam para ela criar suas apresentações e as apresentações da área. Com o treino, ela foi aperfeiçoando suas técnicas, buscando mais referências e criando cada vez mais rápido!

Não tem jeito, é tudo uma questão de treino. Sabe aquela história de treinar todos os dias pelo menos 15 minutos, que tem em todos os programas de emagrecimento? Então, com apresentações não é diferente.

Para te ajudar com as apresentações você precisa criar quase todos os dias.

Assim Laís vai falar os 5 erros mais comuns em apresentações corporativas e como você pode se livrar deles.

Mas atenção, nada de pensamentos negativos agora:

“Lá na empresa que trabalho é diferente!”

“A área de comunicação não vai aprovar!”

“Ninguém cria PPT fora do padrão aqui!”

“Não vou conseguir ter o OK com o meu gestor!”

Você já ouviu falar em crenças limitantes?

“Crenças limitantes são pensamentos, interpretações que você toma pra você como verdadeiros, mas que no fundo são falsas ou pelo menos não são verdades absolutas, e que impedem a sua vida de se tornar melhor.” (Fonte: EFT Brasil)

Ou seja, essas limitações estão na sua cabeça (e muito provavelmente na cabeça de todos que trabalham com você).

Abra sua cabeça para nossas possibilidades, vamos aos 5 maiores erros em apresentações corporativas e como você pode evitá-las.

  

Erro #1 – Usar o template-padrão

No PowerPoint tem um recurso que as empresas adoram chamado “slide mestre”. Isso significa que, ao ativá-lo, todos os seus slides se tornam padrão e você não consegue mexer em sua estrutura.

Talvez essa seja a maior barreira de todas e, por isso, resolvi começar com esse erro. Praticamente todas as empresas que conheço possuem slides-padrão e eu não as culpo por isso.

Essa é uma forma de evitar que os colaboradores que “não” sabem criar boas apresentações não façam nenhuma “cagada” com a marca da empresa (desculpe a palavra, mas quando se trata da MARCA, qualquer deslize representa uma grande cagada sim).

Se você quer que sua apresentação se destaque, precisa abandonar o template-padrão e utilizar as dicas abaixo para manter o PPT com a identidade visual da sua empresa.

 

Erro #2 – Colocar o logo da empresa em todos os slides

Esse erro eu vejo em QUASE TODAS as apresentações que recebo de clientes que querem criar um PPT com a gente aqui no MINIMIZA. Abro os slides e lá está: o logo da empresa em todos os slides, no canto inferior direito (na maioria das vezes).

O grande problema disso é que, no terceiro slide igual, seu logo perde a relevância e “vira paisagem”. Ou seja, quando algo na tela não muda, você simplesmente ignora e passa despercebido pelo seu olhar.

Essa ação resulta em perda de espaço no slide e o fato da sua audiência simplesmente ignorar seu logo. Quando o logo for, de fato, relevante, as pessoas não darão a mínima para ele.

Seu logo precisa estar no slide inicial e no de fechamento, com destaque e de forma relevante. Se você inserir o logo em todos os slides, estará criando sua própria versão de um template-padrão chato e sem graça.

 

Erro #3 – Não dar importância às cores e às fontes institucionais

Quando falamos sobre não colocar o logo em todos os slides, a maioria dos profissionais fica chocado! Aí surge uma pergunta clássica:

“Mas como as pessoas vão saber que a apresentação é da empresa X se não tem o logo?”

O logo não é o único item de uma marca. O branding é composto por inúmeros itens e estratégias para criar uma marca de sucesso e o logo talvez seja o mais importante deles, porém não o único.

Junto com o logo, todas as empresas possuem cores e fontes institucionais, muitas vezes presentes de forma detalhada no “brand book” e que devem ser utilizadas em TODAS as apresentações.

Se estamos falando de refrigerantes e vemos um slide com o texto em vermelho, logo lembramos de quem? Coca-Cola, claro!

E se estamos em uma loja infantil e avistamos aquela letra desenhada e arredondada, o que vem à cabeça? Disney, óbvio!

Cores e fontes são parte fundamental do layout da sua apresentação e você deve segui-las para manter a identidade visual da sua marca mesmo sem o logo presente na tela.

Geralmente as empresas possuem uma paleta com 3 a 5 cores e uma fonte principal e uma secundária. Se você não sabe quais são, sugiro que procure a área de comunicação ou marketing da sua empresa para começar a explorar esses recursos.

 

Erro #4 – Usar o layout padrão de gráficos e tabelas

Não é só o texto que precisa ter fonte e cor institucional, os gráficos e as tabelas utilizados nas apresentações também!

Quando importamos uma tabela do Excel para o PowerPoint, o Pacote Office importa em formato padrão com fonte Arial e uma cor azul clara. Já vi muita apresentação linda, mas que, por causa desse detalhe, parecia que os gráficos e as tabelas haviam sido jogados para dentro do slide de qualquer jeito.

Acredite: parece que sua apresentação vira um “recorte e cola” daqueles que fazíamos para os trabalhos na escola.

Ao fazer a exportação para o PowerPoint, altere as fontes e as cores padrão para as institucionais. É uma dica simples, mas que fará toda a diferença no resultado.

 

Erro #5 – Criar slides-documento

Você tem um monte de coisa para fazer. Seu chefe não para de pedir coisas e você ainda precisa buscar o filho na escola, fazer aula particular de inglês ou dar um pulo na academia.

Com cada vez menos tempo, o prazo fica sempre apertado para ensaiar sua apresentação, certo? Você fica inseguro, o nervosismo bate e, para tentar evitar tudo isso, enche os slides de texto.

Para sua sorte, isso não acontece só com você. Mas você precisa parar, de uma vez por todas, de lotar seu slide de bullet points e texto como se fosse um documento em Word.

Faz o seguinte: finge que seu slide é seu Twitter (mas é aquele Twitter-raiz, com apenas 140 caracteres, ok?).

Escreva até 140 caracteres por slide e não importa a quantidade de slides que você vai utilizar para expor os fatos, o mais importante aqui é não poluir a tela e você conseguir contar sua história aos poucos, sem que sua audiência leia mais rápido que você.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Se identificou com algum desses erros? Você enfrenta alguma dificuldade além dessas?

Tem muita coisa para mudar, né? É, eu sei. Mas vá devagar… comece fazendo uma única mudança e depois vá aumentando gradativamente. Eu tenho certeza que as pessoas ficarão tão impressionadas com o resultado que vai ser difícil elas implicarem com algo.

Qual desses erros você vai parar de cometer hoje mesmo?

Sobre a Autora: Laís Vargas é administradora pela ESPM, pós-graduada em Gestão & Marketing pelo IBMEC, palestrante, especialista em apresentações e cofundadora do MINIMIZA | Apresentações sem firulas. Para ver exemplos de apresentações, acesse minimizaapresentacoes.com